O Tiro com Arco

O tiro com arco é a prática de utilizar um arco e flechas para atingir um alvo. A palavra vem do latim “arcus” e surgiu como actividade ligada às origens da civilização humana como atividade de caça e guerra e com indícios de sua prática ainda na pré-história, sendo por isso um dos desportos mais antigos da história.

História – Antiguidade

Historicamente, tiro com arco terá sido pois inventado no final do Paleolítico ou início do Mesolítico. Os sinais mais antigos da utilização do arco e flecha no continente europeu datam de cerca de 10.000 anos antes de Cristo, ao passo que na Ásia e no Médio Oriente as provas existentes sugerem que a prática do tiro com arco é mais antiga.

Da Antiguidade até a Idade Média

Do período que compreende desde os tempos bíblicos até o século XVI, encontramos inúmeras referências escritas sobre o Tiro com Arco, porém a maioria delas encarando-se sob o ponto de vista da sua utilidade como arma de guerra, e não como actividade desportiva, a não ser alguns escritos sobre os jogos olímpicos gregos, a festividades egípcias, assírias, babilónicas e depois os jogos romanos no Coliseu.

Nesse período que vai até ao final da Idade Média, o poder militar de uma nação, tanto de conquista como de defesa dependia inteiramente do valor e destreza dos seus arqueiros a par de tropas de infantaria ou cavalaria.

Na Europa, a Inglaterra é quem detém a primazia do desenvolvimento do Tiro com Arco, o célebre Longbow (arco-longo) inglês [1 e 2] e as flechas bem emplumadas para precisão do tiro escreveram páginas memoráveis nas batalhas e asseguraram a grandeza da Inglaterra, batalhas tais como Crécy, Poitiers e Azincourt. Foi também o poder dos arqueiros dos barões ingleses que forçaram ao Rei João (1166-1216)  a assinatura da Magna Carta em 1215.

Em Inglaterra também se escreveu o primeiro livro sobre o ensino da arte do tiro com arco intitulado Toxophilus (1545) de Robert Ascham, o qual era instrutor da futura Rainha Isabel I.

Os antigos reis ingleses lançaram éditos obrigando a todos os jovens ingleses a terem arcos e um número obrigatório de flechas sempre à mão. Isto criava uma espécie de milícia nacional sempre armada e em prontidão, contra as repetidas invasões dos vikings, normandos, etc… mas também para que o interesse sobre o tiro com arco permanecesse aceso. A oficialização da sua prática desportiva ocorre já no século XVI, com a organização de torneios na Inglaterra: eram promovidos vários torneios nacionais e regionais nos condados ingleses e os vencedores recebiam honras de heróis nacionais e favores de realeza, incluindo bons prémios em dinheiro. A introdução das armas de fogo tornaram depois o arco e a flecha obsoletos para a guerra, tendo o tiro com arco permanecido como uma prática de exercício físico e de concentração.

Da Renascença até à Era Moderna

Apesar de substituído como arma de guerra, o tiro com arco continuou, principalmente na Inglaterra, como um desporto, tanto de interesse popular como da aristocracia. Não existiam competições, considerava-se um ato de elegância e de educação aprimorada saber-se atirar uma flecha de maneira correcta.

Os ingleses praticavam o tiro com arco através de um jogo que intitulavam de Rover (passeio) o qual se desenrolava da seguinte maneira: um grupo de arqueiros saía para um bosque ou relvado e um deles indicava um obstáculo qualquer do local como sendo o primeiro alvo (uma árvore, um arbusto, etc…) e em seguida todos atiravam sobre ele. O que ficasse mais perto da marca escolhida era proclamado capitão do grupo e escolha o alvo seguinte. Este Rover Game incrementou o gosto pelo tiro com arco identificando a necessidade de competições organizadas. Nos finais do século XVIII fundou-se a Royal Toxophilite Society (1781) e em 1844 aconteceu o 1º campeonato inglês de tiro com arco. Nos Estados Unidos o tiro com arco foi introduzido por um grupo de entusiastas em 1828, os quais criaram a The United Bowmen of Philadelphia, que competiram regularmente durante 20 anos até se desencadear a Guerra Civil Americana. Em 1879 fundou-se a National Archery Association (NAA) e realizou-se o 1º campeonato americano.

Como desporto, o tiro com arco é uma modalidade olímpica desde os Jogos Olímpicos de 1900 em Paris, com uma interrupção a partir de 1920 e tendo reentrado no programa olímpico nos Jogos Olímpicos de Munique em 1972. O tiro com arco foi também um dos primeiros desportos a permitir a participação de mulheres, nos Jogos Olímpicos de 1904 em Saint Louis.

Em 4 de Setembro de 1931 em Lviv (então território da Polónia actualmente pertencente à Ucrânia) foi criado por sete países (França, República Checa, Suécia, Polónia, Estados Unidos, Hungria e Itália, o organismo internacional, denominado Fédération Internationale de Tir à l’Arc (FITA) [1 e 2], e que actualmente é mais conhecida por World Archery.

Em Portugal a Federação Portuguesa de Tiro com Arco teve autorização de fundação publicada no Diário do Governo de 28 de Fevereiro de 1961, foi fundada em 26 de Janeiro de 1962. O tiro com arco é praticado em diversos clubes em Portugal entre os quais o Real Sport Clube.

Este é um desporto que aos olhos do público é muito popular não só por fazer parte do programa olímpico, como também graças à cultura popular que nos últimos anos através do cinema e da televisão tem merecido grande destaque. Começando pela trilogia O Senhor dos Anéis, o tiro com arco teve também destaque outras produções cinematográficas como Os Jogos da Fome (The Hunger Games), Os Vingadores (The Avengers), O Hobbit (The Hobbit) e em séries de televisão como Arrow.

Como desporto, o tiro com arco requer precisão, controlo, foco, repetição e determinação. Trata-se de uma modalidade que pode ser praticada por todos, independentemente da idade, sexo ou destreza, sendo um passatempo generalizado em muitos países.

Tipos de arco / Os modelos de competição / Curiosidades / Ligações úteis